O Glaucoma pode ameaçar sua visão. Faça exame de fundo de olho.

Saiba mais sobres essa doença ocular

Dr. Ricardo Carvalho, especialista e com doutorado em Glaucoma, alerta que o Glaucoma é a segunda maior  causa de cegueira no mundo. É uma doença crônica e ao mesmo tempo silenciosa, pois o paciente não nota o surgimento da doença até que a mesma tome proporções muito avançadas e com danos graves à visão.

Por isso o ideal é medir sua pressão ocular, fazer campo visual e análise do nervo óptico regularmente, para prevenção de uma doença que costuma não apresentar sintomas.

O tratamento para o Glaucoma tem como principal objetivo reduzir a pressão intraocular para evitar danos no nervo óptico, controlando o avanço da doença e prevenindo a cegueira.

Podem ser usados colírios hipotensores para controle pressórico no início. Se  esse tratamento não for efetivo, é indicado laser ou cirurgia anti-glaucomatosa.

Aparelhos disponíveis na Clínica para diagnóstico e acompanhamento do Glaucoma.

Estereofoto Digital

Fotos digitais de alta definição para analisar o nervo óptico

Campo visual

Mede o campo de visão do paciente.

OCT- Tomografia de coerência ótica

Exame para avaliação da retina, segmento anterior, nervo ótico e doenças como glaucoma.

 Tratamento

  • Colírios, que baixam a pressão ocular
  • Tratamento a laser
  • Tratamento cirúrgico, quando os colírios não conseguem controlar a progressão da perda visual.

Tratamento cirúrgico

No tratamento cirúrgico será criado um novo sistema de drenagem para diminuir a pressão do olho. O cirurgião confecciona um novo caminho por onde o humor aquoso sai do interior do olho, indo para um espaço sob a conjuntiva. Isso ajuda a melhorar a drenagem do líquido de dentro do olho e dessa forma, reduzindo a pressão intraocular.

Trabeculoplastia a laser (SLT):

A trabeculoplastia seletiva a laser é uma cirurgia menos invasiva que usa o laser para tratar células específicas da malha trabecular deixando outras porções intactas. Como esse tratamento é mais específico, é permitido que o procedimento seja repetido várias vezes sendo até uma alternativa para pacientes que já passaram por algum procedimento de laser tradicional.

Estes procedimentos não exigem internação hospitalar e o acompanhamento pode ser a nível ambulatorial ou domiciliar.

Possíveis riscos e complicações

Todo processo cirúrgico possui riscos e é importante discuti-los previamente com o cirurgião. Toda a cirurgia tem também a possível necessidade de outra operação caso a primeira não obtenha um nível satisfatório de sucesso. A cirurgia de Glaucoma é indicada em casos extremos e geralmente é deixada para o último caso, pois mesmo sendo um procedimento moderno e sofisticado, nem sempre leva ao controle adequado da pressão em 100% dos casos.

Iridotomia a laser:

Esse procedimento é destinado ao tratamento e prevenção de glaucoma de ângulo fechado onde é criada uma pequena abertura periférica na íris para que líquido passe livremente da câmara posterior para a câmara anterior.

Benefícios e o Pós-operatório:

75% dos pacientes apresentam a pressão intraocular controlada logo ao final do primeiro ano pós-cirúrgico. Embora nenhum dos tratamentos possa recuperar o campo de visão que já foi danificado, eles auxiliam a combater o progresso da doença.

Geralmente, o Oftalmologista recomenda que seja feito retornos frequentes para que seja feita uma aferição da pressão. O uso diário de colírios também poderá ser recomendado e havendo a necessidade, a cirurgia poderá ser repetida.

Dúvidas Frequentes:

Segundo o Dr. Ricardo Carvalho, especialista e com doutorado em Glaucoma, as dúvidas mais frequentes sobre Glaucoma são:

Há cura para o Glaucoma?

Não, porém a doença pode ser controlada com colírio e tratamento a Laser, quanto mais cedo for o diagnóstico, maiores as chances de preservar a visão. O glaucoma ocorre devido ao aumento da pressão ocular que causa danos no nervo óptico e perda progressiva da visão. O diagnóstico precoce através de consultas e exames frequentes evita a perda da visão.

Existe cirurgia para o Glaucoma?

Sim, porém só é indicada quando o tratamento com colírios e Laser não conseguem controlar a pressão ocular nem a perda visual progressiva do paciente. O Glaucoma é uma das principais causas de cegueira no mundo. É uma doença crônica e ao mesmo tempo silenciosa, pois o paciente não nota o surgimento da doença até que a mesma tome proporções muito avançadas e com danos graves à visão.

Glaucoma não tem cura, mas pode ser controlado.

Infelizmente a maioria das pessoas só descobre o glaucoma quando a doença já provocou danos a visão, por isso, se você tem mais de 40 anos e tem parentes com glaucoma, faça exames regulares para controle do glaucoma. Na Clínica de Olhos, dispomos de Estereofoto Digital e Tomografia Ocular para análise do nervo óptico e diagnóstico precoce da doença.

Tenho Glaucoma, posso ficar cego?

A maioria dos pacientes que recebem o tratamento adequado não perde a visão. Como na maior parte dos casos a doença progride lentamente sem que o paciente percebe a perda gradual da visão, o controle deve ser feito com exames regulares de pressão ocular, campo visual e análise do nervo óptico para não haver progressão da doença através de tomografia ocular.

 Como fazer o diagnóstico do Glaucoma?

O Diagnóstico é possível com consultas médicas para medir a pressão ocular, análise do nervo óptico e exame do campo visual. Só medir a pressão ocular não basta, pois, a pressão varia bastante. É mais comum nas pessoas acima 40 anos e com parentes com glaucoma a perda visual é progressiva e silenciosa.

Cuidado com o Glaucoma, você pode ter e não saber.

O Glaucoma é a segunda maior causa de cegueira, ocorre devido ao aumento da pressão ocular, que causa danos no nervo ótico e perda progressiva e silenciosa da visão. O diagnóstico só é possível com consulta para fazer exame de pressão ocular, exame de campo visual e análise do nervo óptico. Quanto mais cedo a doença for diagnostica e tratada, maiores são as chances de evitar a perda da visão. A Clínica de Olhos possui tomografia ocular para diagnóstico precoce da doença.

Eu posso ter Glaucoma?

Todas as pessoas acima de 40 anos, com algum parente com Glaucoma e Miopia devem fazer consulta e exames de pressão ocular, campo visual e análise do nervo óptico regularmente. Quanto mais cedo a doença for diagnostica e tratada, maiores são as chances de evitar a perda da visão. O Glaucoma que é o aumento da pressão ocular provoca cegueira irreversível e não dá sintomas, a melhor prevenção é fazendo exames.

Glaucoma, quanto antes descobrir melhor.

Quanto mais cedo a doença for diagnostica e tratada, maiores são as chances de evitar a perda da visão. Infelizmente a maioria das pessoas só descobre o glaucoma quando a doença já provocou danos irreversíveis a visão, por isso, se você tem mais de 40 anos e tem parentes com glaucoma, faça exames regulares para controle da doença. Na Clínica de Olhos, dispomos de Estereofoto Digital e Tomografia Ocular para análise do nervo óptico e diagnóstico precoce da doença.

O Glaucoma que é o aumento da pressão ocular provoca cegueira irreversível e não dá sintomas, a melhor prevenção é fazendo exames. O tratamento para o Glaucoma tem como principal objetivo reduzir a pressão intraocular para que as fibras remanescentes consigam manter sua função controlando o avanço da doença e prevenindo a cegueira.

Cuidado com o Glaucoma, faça os exames preventivos.

Quanto mais cedo a doença for diagnostica e tratada, maiores são as chances de evitar a perda da visão. Infelizmente a maioria das pessoas só descobre o glaucoma quando a doença já provocou danos irreversíveis a visão, por isso, se você tem mais de 40 anos e tem parentes com glaucoma, faça exames regulares para controle da doença. Na Clínica de Olhos, dispomos de Estereofoto Digital e Tomografia Ocular para análise do nervo óptico e diagnóstico precoce da doença.

A Retinopatia Diabética é a principal causa de cegueira em adultos.

Entenda o que é Retinopatia Diabética?

A retinopatia diabética ocorre devido ao diabetes mal controlado, com oscilações da glicemia, que levam a danos nos vasos da retina, esses danos após 10 anos de diabetes, podem levar a perda total ou parcial da visão, por isso o ideal é que todos os diabéticos façam o exame de fundo de olho periodicamente para fazer a prevenção e o diagnóstico precoce da RD. A RD se divide em:

  • Não proliferativa: ocorre o extravasamento de líquido (sangue e/ou soro) para dentro da retina que pode formar os exudatos e o edema de mácula, causando baixa visão.
  • Na retinopatia diabética proliferativa, há um crescimento dos vasos sanguíneos pela superfície da retina, podendo ir até o vítreo, gel que preenche o fundo do olho, e localiza-se entre a retina e o cristalino. Nestes casos deve-se iniciar o tratamento que consiste em aplicação de laser diodo e em alguns casos, aplicação de substâncias que inibem a formação de vasos e com isso inibindo a progressão da doença. Nesta situação há maior chance de sangramentos no fundo do olho (na retina e/ou no vítreo), distorção da visão e descolamento da retina. A retinopatia diabética é uma das principais causas de cegueira nas pessoas adultas.

O melhor tratamento da retinopatia diabética é a prevenção. O rigoroso controle dos níveis de glicose no sangue costuma retardar o desenvolvimento e a progressão da retinopatia diabética. O laser e a vitrectomia são procedimentos complementares ao tratamento, não impedindo o avanço da doença, e dependendo do caso, podem surtir pouco ou nenhum efeito ao tratamento.

ENTRAR EM CONTATO

Seu nome (obrigatório)

Seu e-mail (obrigatório)

Cidade

Estado

Telefone (obrigatório)

Tipo de Comentário

Sua mensagem (obrigatório)